terça-feira, setembro 01, 2009

Pretérito

Foto: Maria Antonia Demasi













Ela guardava a alegria
Enrolada em cachos
E eram tantos cachos

Tinha um depósito dessa preciosa matéria
Dentro de seus pulmões
Sua risada era um espetáculo
Pelo qual aguardava ansiosa

Nas mãos
Escondia um número especial
Transformava pensamento
Em beleza

Nunca vi ninguém conseguir fazer o que fazia
Não precisava
Bastava assistí-la
E sentir-se dona do belo

Gostava de ter pedaços dela em minha vida
Cores. Confusões. Destemperos.
Tudo nela pulsava
Às vezes transbordava

Tantos anos assim
Já não posso
Virar a folhinha da minha vida
Sem ter uma página
Só para ela

Coisa de Santo
Que a religião que um dia teve
Não considerava

E agora me pego dizendo no passado

Justo no dia
Em que percebi
Que ela de lenço
Sem cachos
Vive outro tipo de felicidade

Justo no dia em que ela
Com as mãos de mágica
Segurou as minhas
Para contar seu orgulho
De mim

Do justo
Tamanho
De nós

4 comentários:

  1. Tonha, adoro seus textos. E adoro as ilustrações e fotos! Adoro seu blog!!!

    ResponderExcluir
  2. SUAS PALAVRAS

    Por um momento pensei
    Não vou dizer Dizer enfim
    Por um momento Que fossem pra mim.

    Mas no final Afinal não me reconheço
    Suas palavras não foram pra mim!

    Por um momento ousei Senti a alegria guardada
    Enrolada em meus cachos E são tantos cachos...

    Mas a risada... um espetáculo?
    Talvez Você é mesmo exagerada
    Exagerada de achares e dizeres Exageradésima!

    Pensamento em beleza Bem que transformo
    Abri um sorriso e pensei de novo São para mim!

    Sobretudo as cores.

    Mas quando entraram as confusões os destemperos
    Pulsação e transbordamento Novamente me desreconheci
    Não que não os tenha Mas estão tão bem guardados que não é possível que os houvesse visto, reconhecido, classificado e anunciado!
    Será? você me conhece tão bem...

    Coisa de santo. Aaah isso é e sempre foi. Coisa de santo.

    Se terminassem ai suas palavras Teriam sido pra mim!

    Mas no final
    Não uso lenço e nunca te disse do orgulho que sinto por você.
    Deveria ter dito Eu sinto.
    Mas lenço? Não, não foram pra mim...

    ResponderExcluir
  3. aah querida
    ah querida
    o que seria a vida sem a gente para viver? chorei pra variar. o desenho ficou lindo, bem ai. Os cachos e todo resto estão guardados, hoje em dia: "só para os mágicos, só para os raros". (aprendi com H.Hesse) e você é um deles.
    muito obrigada, vc sabe pelo quê.
    amor, K.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...